Intercâmbio institucional

Marca relevante dos professores do DGAE é a busca de intercâmbios com instituições nacionais e internacionais voltadas para pesquisa em Ensino e História de Geociências e de Ciências.

A linha de pesquisa Metodologia de Ensino de Geociências permite intercâmbio e colaboração com a Faculdade de Educação da UNICAMP principalmente junto ao Grupo de Estudos e Pesquisa em Formação de Professores da Área de Ciências (FORMAR Ciências) e ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Ciências & Ensino (GepCE).

No âmbito da linha de pesquisa História das Geociências há várias aproximações com a “Casa de Oswaldo Cruz” (FIOCRUZ), com o Museu de Astronomia e Ciências Afins – MAST no Rio de Janeiro.

O intercâmbio internacional do Programa vem sendo intensificado nos últimos anos. Durante o triênio 2012-10 foi firmado um Convênio de Co-tutela entre Universidade de Girona e Unicamp. Isso facilita o intercâmbio de estudantes de doutoramento entre as duas instituições. De fato, em fevereiro de 2013, um aluno de doutorado foi fazer “doutorado-sanduiche” na universidade espanhola.

Como já foi mencionado neste relatório, fruto do intercâmbio dos professores do PEHCT houve a vinda, no segundo semestre de 2012, do Prof. Robert Frodeman para ministrar curso a alunos e professores do Programa. Isso mantém uma tradição dentro da Pós de trazer professores estrangeiros que possam intercambiar experiências, abrir espaço no exterior, etc. para os alunos de doutorado (mas com resultados positivos também para alunos de mestrado). Nos últimos anos, estiveram ministrando disciplinas para Pós-graduação: Jorge Bonito (Universidade de Évora) e Luis Ferreira Marques (Universidade de Aveiro) em 2007; Jorge Bonito participou de um conjunto de seminários promovidos pelo IG e pode apresentar sua pesquisa sobre ensino do conceito de tempo geológico (levantamento feito com alunos de escolas portuguesas) em 2010; David Brusi (Universidade de Girona) em 2011.

De outro lado, Pedro Wagner Gonçalves ministrou a palestra Concepções de professores brasileiros sobre a Natureza para alunos de doutorado da Universidade de Aveiro (junho de 2010) por meio do que expôs e discutiu sua pesquisa em Ciência do Sistema Terra e a formação de professores.

O intercâmbio com as universidades de Aveiro e Évora foi estabelecidos dentro das atividades de dois Convênios internacionais entre o DGAE e as universidades portuguesas (ambos re-assinados em 2012).

Intercâmbios estão sendo construídos a partir dos projetos de pesquisa. Ensino de Ciência do Sistema Terra e formação de professores, Conhecimentos escolares relacionados à ciência, à sociedade e ao ambiente em microbacia urbana e GeoEscola abriram distintas possibilidades de colaboração com organismos públicos e privados (p.ex. Instituto Agronômico de Campinas, Secretarias e Educação, unidades escolares, etc.). P.ex., por meio do Projeto Ensino de Ciência dos Sistema Terra e a formação de professores há um intercâmbio com escolas estaduais, órgãos da Secretaria Estadual de Educação, Centro Universitário Moura Lacerda (Mestrado em Educação) e Universidade Federal de São Carlos (Departamento de Educação). O Projeto GeoEscola tem reunido e aproximado Secretarias Municipais de Educação e criado condições para pesquisa em formação continuada de professores e possibilitado intercambio com UNESP – Campus de São José do Rio Preto. Em conjunto promovem pesquisas colaborativas que envolvem alunos de IC, mestrandos e doutorandos e, ao mesmo tempo, abrem possibilidades de professores do ensino básico realizarem pesquisas reflexivas e, mesmo, iniciarem cursos de mestrado e doutorado.

No âmbito de intercâmbio, em 2012, um estudante de doutorado iniciou doutorado-sanduíche no Departamento de Geologia da Universidade de San Luis.