Impacto Reginal e Nacional

A) Impacto Educacional

O Programa apresenta forte impacto regional e nacional no que se refere à sua interface com a educação básica, atraindo professores da rede pública e privada de ensino fundamental e médio para participação no mestrado ou doutorado, em importante papel de qualificação de quadros de educadores. Há relevante participação de professores de educação básica como alunos especiais em disciplinas do Programa; e em cursos eventuais de capacitação de Professores do Ensino Fundamental e Médio; em palestras; em cursos de curta duração (cursos de extensão), além da acolhida de alunos e de professores de escolas públicas e privadas, para visita aos laboratórios dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação e na realização de palestras sobre temas atuais e nas atividades oficiais do Programa Universidade Portas Abertas (UPA), evento que a Unicamp patrocina anualmente e que atrai milhares de alunos de escolas de educação básica e público em geral interessados em conhecer mais proximamente os cursos de graduação da universidade.
Recentemente duas importantes atividades vieram somar ao conjunto: o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) com participação de alunos de graduação do curso de Geografia, e o Programa de Iniciação Científica Júnior (PIC Jr.) com participação de alunos bolsistas do ensino médio das escolas públicas do município de Campinas e região, contando com monitoria de alunos de graduação e pós-graduação, uma importante contribuição na qualificação docente e na formação de futuros pesquisadores.
A partir do ano de 2012 inserimos em nosso programa um docente que trabalha especificamente as temáticas de Ensino de Geografia na educação básica, de tal forma que estamos tendo um incremento direto na temática nos anos posteriores. Em 2015 uma professora da área de ensino em Geografia foi contratada pelo Departamento de Geografia e já está credenciada no Programa. Além disso, alguns docentes estão trabalhando, em suas respectivas áreas, na interface com o Ensino Básico.

B) Impacto Social

O Programa apresenta forte impacto social, com recebimento de técnicos e analistas de prefeituras municipais, diversos órgãos governamentais, ONGs, empresas privadas, para realização de curso de pós-graduação com a produção de dissertações e teses voltadas para resolução de problemas afeitos as questões sociais, ambientais e técnicas nas instituições em que estão profissionalmente inseridos (por exemplo, EMBRAPA, Prefeitura Municipal de Campinas, ONGs – Serra do Japi, Instituto Agronômico de Campinas – IAC). Produção de diagnósticos socioambientais com forte interação com as comunidades afetadas, como a que ocorreu com a participação de alunos de graduação e pós-graduação, em uma parceria com o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) no desenvolvimento do projeto Corredor das Onças. Ressalte-se também a produção de conhecimentos e diretrizes a ser aplicadas no planejamento e gestão do território, subsidiando órgãos públicos (CONSEMA, CONDEPHAAT, etc.) e privados, além da inserção de nossos alunos e docentes em Programas de Extensão da Unicamp, a exemplo do Programa Comunidades Quilombolas, Programa Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares, Ciências nas Férias, entre outros.

C) Impacto Tecnológico e Econômico

O Programa apresenta forte impacto tecnológico e econômico, em escala regional e nacional, na medida em que atua junto às prefeituras e instituições públicas e privadas da região metropolitana de Campinas, e também de outros estados brasileiros, produzindo conhecimento que auxiliam no entendimento de diversos problemas existentes na Região Metropolitana de Campinas e que pode subsidiar os gestores para ações mais consequentes no território. São pesquisas que auxiliam na proposição e avaliação de políticas públicas e no desenvolvimento de produtos voltados para a resolução de problemas econômicos, tecnológicos, ambientais e seus impactos sócio-espaciais. A partir desta inserção e do compromisso com a geração de conhecimento para auxiliar no planejamento e na gestão pública de caráter físico-territorial são elaborados projetos de pesquisa financiados com a participação de alunos de graduação (elaboração de Estágios Supervisionados, Iniciação Científica, Monografias e TCC) e pós-graduação (Dissertações e Teses).
Nesses estudos, além das abordagens teóricas e metodológicas afeitas às problemáticas, também são utilizados diversos recursos tecnológicos, por meio do uso e aplicação de geotecnologias na elaboração de planos diretores municipais, de estudos e avaliações sobre o desenvolvimento econômico dos municípios, de unidades federativas e regiões considerando seus impactos socioambientais.
Outro campo de pesquisa muito desenvolvido pelo Programa e com forte impacto tecnológico, econômico e social é a elaboração de zoneamento ambiental e socioeconômico, voltado para a alocação de habitação, uso público e conservação do patrimônio natural como, por exemplo, em áreas de fundo de vale e sobre reservas naturais e unidades de conservação, procurando definir zonas de amortecimento social, delimitação das potencialidades paisagísticas e o seu uso pela população tradicional, ou mesmo definir um conjunto de estratégias socioeconômicas e ambientais para a manutenção das populações tradicionais no entorno destas áreas naturais.
Como o Programa de Pós-graduação em Geografia está inserido em uma universidade com grande inserção na área tecnológica, são desenvolvidos projetos na construção de metodologias em geotecnologias para utilização de novos produtos (satélites, GNSS, programas SIG), em planejamento urbano/regional, saúde pública, infraestrutura do território; avaliação de políticas públicas, como exemplo, o estudo sobre a ampliação do aeroporto internacional de Viracopos e o planejamento e gerenciamento ambiental em bacias hidrográficas urbanas ou da APA de Campinas. Tais projetos têm sido desenvolvidos em colaboração com a Embrapa, Instituto Agronômico de Campinas – IAC e Prefeituras Municipais da Região Metropolitana de Campinas.