O Programa

O Programa de Pós-graduação em Política Científica e Tecnológica (PPG-PCT), vinculado ao Departamento de mesmo nome, está completando 25 anos. Ele iniciou-se em 1988 com o mestrado, em convênio com a Universidade das Nações Unidas (UNU) e CAPES, as quais financiavam a vinda de bolsistas latino-americanos. Após sete anos de acúmulo de experiência com o mestrado, iniciou-se o doutorado no ano de 1995. Desde sua criação até dezembro de 2012, o PPG-PCT titulou 197 mestres e 93 doutores.

O crescimento do número de programas de pós-graduação e centros de pesquisa dedicados aos Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia (ESCT) configura uma tendência internacional relativamente recente, assim como programas de PG interdisciplinares. No Brasil, o DPCT é um dos precursores e dos poucos totalmente dedicados a essa temática com cunho interdisciplinar. O mais comum é o tema C&T aparecer como área de concentração em alguns programas de PG nas áreas de Economia, Sociologia, Comunicação Social e mesmo Engenharia. Assim, pode-se dizer que o DPCT e o PPG-PCT se confundem, o que oferece uma solidez institucional ao PPG-PCT dificilmente encontrada por outros programas congêneres, no país e mesmo no exterior.

O PPG-PCT procura enfrentar a complexidade inerente às questões teórico-conceituais a que se propõe por meio da articulação dos métodos, das perspectivas de análise e das teorias oriundas de várias disciplinas. Esta preocupação se reflete na proposta temática, na composição do corpo docente – com titulação em diferentes áreas do conhecimento -, assim como em outras iniciativas, com resultados importantes para a interdisciplinaridade, as quais serão aqui detalhadas.

Proposta Temática do Programa

O DPCT optou por privilegiar o enfoque interdisciplinar para os estudos de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), dado que a compreensão da CT&I e, especialmente da PCT&I, não deve ser entendida apenas em seu sentido estrito – de formulação e análise de policy – mas também como produção de uma base mais ampla de conhecimento sobre CT&I. Contempla, assim, diversos enfoques disciplinares sobre geração e uso do conhecimento, apropriação econômica e social do conhecimento, condicionantes e implicações econômicas e sociais deste processo. A Proposta Temática do Programa se estrutura a partir do quadro de referência que se apresenta a seguir.

Os países desenvolvidos experimentaram, a partir da segunda metade do século XX, um expressivo aumento do investimento público e privado em C&T, associado positivamente ao crescimento econômico de tais países, além da prática de P&D nos departamentos ou laboratórios criados com essa finalidade ter envolvido um enorme percentual das empresas já na virada do século XIX para o século XX. Tal constatação levou países em desenvolvimento a buscar caminhos semelhantes, mas é reconhecida a necessidade de se levar em conta a diferença desse processo e de sua dinâmica nesses países.

O contexto de nação em nível intermediário de desenvolvimento humano e econômico, como o Brasil, impõe condições peculiares para o tratamento destes temas, como a fragilidade tecnológica do setor industrial, a menor competitividade do setor produtivo, a interação débil entre a pesquisa técnico-científica e as necessidades da sociedade, a descontinuidade das políticas e dos instrumentos de financiamento da CT&I, o instável quadro regulatório e legal voltado a essas atividades, as especificidades da cooperação Norte-Sul e mesmo Sul-Sul em C&T e para a transferência do conhecimento, o impacto das novas tecnologias sobre o emprego, a organização do trabalho, as qualificações e formações acadêmicas, as questões de gênero e também sobre o meio ambiente, assim como as barreiras impostas à realização da P&D em áreas chamadas sensíveis, como no caso das atividades que envolvem alto conteúdo tecnológico (satélites, novos materiais, equipamentos de precisão), entre outros elementos. Eles suscitam várias interrogações, as quais o PPG-PCT vem se debruçando desde sua constituição, mas as atualizando com a evolução do contexto, dentre elas:

  • Como se organiza o sistema de produção de conhecimento local e as tecnologias sociais?
  • Como avaliar se as orientações das políticas de CT&I são as mais apropriadas para atingir os objetivos técnico-científicos, econômicos e sociais desejados?
  • Que elementos importam na discussão sobre gênero nas atividades de C&T?
  • Como a relação entre universidades e empresas pode realmente transformar o ambiente de criação, uso e difusão de novos conhecimentos, habilidades e tecnologias?
  • De que forma a globalização produtiva e o peso crescente de empresas multinacionais altera e afeta a capacidade de inovação e o desenvolvimento tecnológico endógenos?
  • Como abordar as relações de cooperação internacional em C&T? O que é hoje a transferência do conhecimento?
  • Como transformar vantagens comparativas em vantagens competitivas em áreas estratégicas (como a energética) e criar riqueza para o país?
  • Que instrumentos e políticas públicas são mais coerentes e sustentáveis para promover o investimento em P&D nas empresas privadas?
  • Como se apropriar dos instrumentos de planejamento, gestão e governança em atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em empresas e também em institutos públicos de pesquisa e em universidades?

Essas questões têm sido abordadas no âmbito de disciplinas e áreas de conhecimento consolidadas como a Economia, a Gestão, a Sociologia, a Ciência Política, a História, a Antropologia e a Filosofia. No entanto, o tratamento disciplinar tende a fragmentar o conhecimento porque se realiza a partir de visões específicas e métodos particulares de pesquisa. O PPG-PCT busca uma visão integrada dessas questões por meio de um tratamento interdisciplinar, de tal modo que elas sejam entendidas como elementos de uma dinâmica socio-técnica, complexa e particular.

 

A partir desta proposta, o Programa atende a formação três tipos de profissionais:

  • aqueles que buscam seguir carreira acadêmica em universidades e demais instituições de ensino e pesquisa;
  • pesquisadores e administradores de instituições públicas de gestão e fomento em ciência e tecnologia do país e do exterior (notadamente de países latino-americanos);
  • e gestores privados que executam esforços de pesquisa e inovação em empresas, incluindo também instituições do terceiro setor.

 

Para dar conta destes desafios, procura-se:

a) formar profissionais aptos a difundir, ampliar e reformular os conhecimentos adquiridos na pós-graduação, por meio de sua atuação como docentes e pesquisadores, em disciplinas teóricas e práticas que sejam afins ou correlatas ao campo dos Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia (ESCT), em geral, e da PCT e da Gestão e Planejamento em PCTI, em particular;

b) capacitar docentes, pesquisadores e gestores de instituições de ensino e pesquisa para uma participação ativa na formulação, no acompanhamento e na avaliação da PCTI;

c) apresentar aos alunos, instrumentos, ferramentas e metodologias que permitam uma formação sólida para análise, gestão e tomada de decisão sobre o contexto nacional e internacional de desenvolvimento da CT&I, assim como da P&D, a partir de formulações robustas de cenários e tendências, para a elaboração de políticas estratégicas na área.

A interdisciplinaridade envolve a possibilidade de que o aluno possa escolher e cursar disciplinas que enriqueçam a sua base original de conhecimentos mediante a incorporação de novos conteúdos, de novas perspectivas e metodologias de análise. Mas também procura desenvolver a capacitação do aluno para situar e perceber as contribuições que as demais áreas de conhecimento possam vir a dar para a solução de problemas teóricos e práticos. Assim, alunos com formação em Economia têm a oportunidade de ampliar sua base de conhecimentos com conteúdos da Sociologia da Ciência e da Análise de Políticas Públicas, ao passo que aqueles que vêm de uma trajetória nas Ciências Sociais agregam conhecimentos de Economia Política e Economia da Tecnologia à sua bagagem, enquanto que os originários das áreas de Ciências Exatas, Biológicas e Engenharias são estimulados a utilizar os conhecimentos adquiridos durante sua formação na definição de seus temas de dissertação ou tese. Veja-se a seguir como o PPG-PCT está organizado.

 

Avaliações da CAPES

Cursos de Mestrado e Doutorado em Política Científica e Tecnológica receberam nota 6 na avaliação CAPES referente ao triênio 2010/2012.

 

Objetivos

O programa tem como objetivo a capacitação de profissionais de diferentes áreas para desempenhar atividades de pesquisa, gestão, formação e execução de políticas públicas e privadas no campo do desenvolvimento científico e tecnológico e da inovação. Esse objetivo tem como referência fundamental o princípio de que a evolução da Ciência e da Tecnologia é um processo social e que, como tal, está condicionado por fenômenos de natureza política, econômica e social. A análise desse processo e a concepção de estratégias e mecanismos orientados por cenários de igualdade social, desenvolvimento econômico e sustentabilidade ambiental é a missão que o Programa se propõe a cumprir.