Grupos

1. ESCT – Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia (início em: 01-03-1995)

Líder: Lea Maria Leme Strini Velho e Maria Conceição da Costa

O Grupo de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia do DPCT da UNICAMP, criado em 1995, é composto por uma equipe multidisciplinar orientada para a compreensão das relações entre os fatos científicos, os artefatos tecnológicos, as políticas públicas e os contextos sociais, históricos, materiais e culturais onde estes conhecimentos são desenvolvidos e postos em operação. A partir de diferentes tradições disciplinares, as pesquisas realizadas pelos membros do grupo têm como objetivo principal analisar, qualitativa e quantitativamente, as diferentes formas de produção e uso dos conhecimentos científicos e tecnológicos, as suas formas de validação, divulgação e cooperação. Espera-se que os estudos realizados produzam conhecimentos que sejam úteis para a intervenção política sobre a regulação da ciência e da tecnologia. Busca também compreender formas de conhecimento não-científico e as relações deste com o conhecimento científico tecnológico institucionalizado. As pesquisas realizadas pelo grupo são expressas pelas seguintes linhas: Análise de Políticas de C&T; Cooperação Internacional em C&T; Dinâmica de produção de Conhecimento Científico e Tecnológico; Divulgação Científica; Gênero e Ciência; Participação Pública; e Ciência, Política e Justiça Ambiental Global. O grupo tem reputação consolidada junto à comunidade nacional e internacional da área,que se reflete nos financiamentos recebidos e na expressiva produção científica.

Áreas predominantes: Ciências Humanas; Ciência Política

Pesquisadores: Maria Margaret Lopes; Camila Carneiro Dias Rigolin; Maria Priscilla Kreitlon; Clarissa Sanfelice Rahmeier; Maria Teresa Citeli; Cristina de Campos; Marko Synésio Alves Monteiro; Lea Maria Leme Strini Velho; Michelangelo Giotto Santoro Trigueiro; Márcia Gonçalves Rodrigues; Oscar Alberto Duarte Torres; Maria Conceição da Costa; Rafael de Brito Dias; Maria Lígia Moreira; Simone Pallone de Figueiredo.

Endereço na Web:
http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhepesq.jsp?pesq=5786501018980066

 

2. GAPI – Grupo de Análise de Políticas de Inovação (início em: 01-03-1999)

Líder: Rafael de Brito Dias (coordenador); Renato Dagnino (coordenador associado)

O Grupo de Análise de Políticas de Inovação (GAPI) vem, há mais de duas décadas, dedicando-se ao estudo das relações Ciência, Tecnologia e Sociedade na América Latina, a partir do emprego de enfoques como os de História e Sociologia da Ciência e da Tecnologia, de Economia da Tecnologia e de Análise de Política. A equipe do GAPI, de caráter interdisciplinar, tem realizado trabalhos junto a organizações nacionais e estrangeiras, públicas e privadas, e atuado em colaboração com outros grupos da UNICAMP. As atividades desenvolvidas pelo GAPI se concentraram na pesquisa, no desenvolvimento e na aplicação de conceitos e metodologias para a Gestão Estratégica da Inovação (prospecção e seleção de oportunidades de inovação, avaliação do potencial de instituições, elaboração de políticas, etc.) adequadas ao contexto latino-americano e a estratégias de inclusão social. Nesse âmbito, o GAPI vem oferecendo programas de capacitação a profissionais que atuam na formulação, implementação e avaliação de políticas ligadas à pesquisa e desenvolvimento tecnológico e ao ensino superior. Abarcando o âmbito mais estendido das Ciências e Técnicas de Governo, e em função da experiência adquirida no manejo e desenvolvimento de instrumentos metodológicos relacionados à Gestão Estratégica Pública, Ciência Política, Economia Solidária, Análise de Sistemas, Construção de Cenários, Planejamento Estratégico Situacional, etc., o GAPI vem se dedicando à capacitação de dirigentes públicos e à assessoria a equipes de governo. Esse acúmulo de experiências e aprofundamento analítico-conceitual e metodológico tem estado sempre referido à preocupação central do grupo acerca da utilização do potencial tecnocientífico existente na América Latina para a construção de um cenário de maior justiça social, equidade econômica e responsabilidade ambiental na região. E também ao compromisso com a formação de pesquisadores e alunos de graduação e pós-graduação capazes de compreender criticamente as políticas públicas pertinentes e transformá-las num sentido aderente a essa construção.

Áreas predominantes: Ciências Sociais Aplicadas; Ciência Política

Pesquisadores: Milena Serafim, Henrique Tahan Novaes, Rodrigo Fonseca, Greiner Costa, Paula Arcoverde Cavalcanti, Erasmo José Gomes, Hernán Thomas, Maria de Lourdes Pinto de Almeida, Ivo Marcos Theis Estudantes: Rogério Bezerra da Silva, Alcides Eduardo dos Reis Perón, Laís Silveira Fraga, Márcia Maria Tait de Lima, Carolina Bagattolli, Vanessa Brito de Jesus, Ednalva Félix das Neves, Janaína Elisa Patti de Faria

Endereço na Web:
www.ige.unicamp.br/gapi
http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0079702MT3EOV5

 

3. GEICT – Grupo de Estudos Interdisciplinares em Ciência e Tecnologia (início em: 01-10-2011)

Líder: Marko Synésio Alves Monteiro

O Grupo de Estudos Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia – GEICT – reúne pesquisadores interessados em aplicar ferramentas teórico-metodológicas das Ciências Sociais e áreas correlatas (Antropologia, Sociologia, História, Comunicação, etc.) para a compreensão de fenômenos ligados à ciência e à tecnologia (C&T) na sociedade contemporânea. Os interesses de pesquisa do grupo abrangem temas como: práticas de produção de conhecimento científico e de tecnologias; práticas de comunicação e divulgação científicas; meio ambiente e C&T; biomedicina e C&T; os estudos feministas de ciência e tecnologia; culturas visuais na ciência; diálogos entre metodologias históricas e etnográficas para a análise de temas ligados à C&T; práticas de formulação e aplicação de políticas científicas em âmbito estatal e não-estatal; problemas de gestão e culturas organizacionais em âmbitos de produção e aplicação de C&T.

Áreas predominantes: Ciências Humanas, Sociologia, Antropologia, História

Pesquisadores: Érica Renata de Souza, Jefferson de Lima Picanço, Léa Maria Strini Velho, Maria José Maluf Mesquita, Marko Synésio Alves Monteiro, Ana Paula Camelo, Daniela Camila de Araújo, Jean Carlos Ferreira dos Santos, Maria Katy Anne Guimarães, Mônica Frigeri, Rodrigo Saraiva Cheida, Vinícius Wagner Oliveira Santos

Endereço na Web:
http://geict.wordpress.com/
http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0079703U3BKW5D

 

4. GEMPI – Grupo de Estudos de Empresas e Inovação (início em: 01-03-1997)

Líder: Ruy de Quadros Carvalho e Sérgio Robles Reis de Queiroz

O GEMPI – Grupo de Estudos de Empresas e Inovação é formado por professores, pesquisadores e alunos de mestrado e doutorado do Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT), do IGE/UNICAMP. O GEMPI se dedica à pesquisa do processo de inovação tecnológica nas empresas industriais e de serviços, com ênfase na realidade brasileira. As várias dimensões da inovação e seus condicionantes numa economia em desenvolvimento estão no escopo dos estudos do grupo. Os focos de sua produção recente traduzem seus interesses em vários níveis de pesquisa e intervenção. A preocupação em entender os limites e possibilidades da aprendizagem e da inovação na empresa, numa economia periférica e internacionalizada, revela-se nas pesquisas sobre globalização e capacitação tecnológica. Nessa linha, destacam-se, de um lado, os trabalhos sobre a P&D e a inovação tecnológica em subsidiárias de empresas transnacionais, bem como sobre as perspectivas de capacitação em empresas brasileiras inseridas em cadeias globais. De outro, o GEMPI tem acumulado conhecimento sobre os desafios que o mesmo processo de internacionalização coloca para os campeões nacionais da inovação. Mais recentemente, a linha analítica do GEMPI tem se estendido para compreender a investigação sobre estratégias das empresas e suas práticas de gerenciamento estratégico da inovação e da tecnologia. Finalmente, mas não menos importante, o GEMPI tem dedicado parte importante de sua energia no desenvolvimento de metodologias para a mensuração dos vários aspectos relacionados com o processo de inovação tecnológica, seus resultados e custos envolvidos. Nessa linha, os pesquisadores do GEMPI tiveram papel importante no desenvolvimento e implementação de surveys de inovação (PAEP da Fundação SEADE e Diretório da Pesquisa Privada da FINEP), bem como dos Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação em SP, da FAPESP. Com base nessa experiência, o GEMPI oferece o curso de extensão Gestão Estratégica da Inovação Tecnológica.

Áreas predominantes: Ciências Sociais Aplicadas; Administração

Pesquisadores: Alair Helena Ferreira; Ionara da Costa; Anapatrícia Morales Vilha; Luciana Cristina Lenhari; Andre Tosi Furtado; Mariana Nunciaroni Zanatta Inglez; Andréa Santos de Deus; Muriel de Oliveira Gavira; Edilaine Venancio Camillo; Pollyana de Carvalho Varrichio; Edmundo Inácio Júnior; Rubia Auxiliadora Constancio Quintão; Eduardo Strachman; Ruy de Quadros Carvalho; Eliane Cristina Franco; Sabine Righetti; Esther Menezes; Sérgio Robles Reis de Queiroz; Flávia Luciane Consoni; Silvia Angélica Domingues; Glicia Vieira dos Santos.

Endereço na Web:
http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhepesq.jsp?pesq=0870593828183273

 

5. GEOPI – Grupo de Estudos sobre Organização da Pesquisa e da Inovação (início em: 01-03-1995)

Líder: Sergio Luiz Monteiro Salles Filho , Adriana Bin e Ana Maria Alves Carneiro da Silva

O Grupo de Estudos sobre Organização da Pesquisa e da Inovação foi fundado em 1995 por professores, alunos e colaboradores do Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT) do Instituto de Geociências da Unicamp. A competência central do GEOPI está nos campos do planejamento e da gestão de ciência, tecnologia e inovação (CT&I). O trabalho do grupo é orientado por uma interpretação dinâmica do processo de inovação, seja a inovação realizada no âmbito de uma organização (pública ou privada), seja em âmbito de um país, de uma região, de um setor ou de uma área do conhecimento. Os principais conceitos e métodos adotados se baseiam em disciplinas como economia da tecnologia e da inovação, economia das instituições, sociologia da inovação, teoria das organizações, gestão estratégica, dentre outras abordagens complementares. As atividades do GEOPI gravitam em torno de suas seis áreas de atuação, quais sejam: 1. PLANEJAMENTO E GESTÃO DE CT&I. Identificação e análise das características institucionais, organizacionais, gerenciais e relacionais que interferem na gestão das atividades de ciência e tecnologia e do processo de inovação, seja este de natureza tecnológica ou não tecnológica. Concepção, reorganização e planejamento de centros e organizações públicas e privadas envolvidas com atividades de CT&I. 2. PROSPECÇÃO EM CT&I. Desenvolvimento e aplicação de métodos e instrumentos para auxiliar processos de planejamento e gestão a partir da compreensão do contexto institucional e organizacional e da construção de relações de compromisso entre os diferentes atores envolvidos em um sistema de inovação. Prospecção para tecnologias emergentes e identificação de ciclos tecnológicos. 3. AVALIAÇÃO EM CT&I. Desenvolvimento e aplicação de métodos de avaliação de resultados e de impactos de projetos, programas, organizações e instituições, especialmente em múltiplas dimensões (econômica, social, ambiental, capacitação, institucional etc.), para fornecer elementos para planejamento, accountability e aprendizagem. 4. GESTÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL. Identificação e análise estratégica das políticas de proteção do conhecimento em instituições públicas e privadas de CT&I. Análises setoriais e regionais relacionadas com a regulação e o uso dos direitos de propriedade intelectual nos campos de Propriedade Industrial (patentes, marcas), Direito Autoral e Proteção sui generis (proteção da biodiversidade e conhecimentos tradicionais e proteção de cultivares). 5. FINANCIAMENTO PARA CT&I. Análise das dimensões da intermediação e do investimento sob diferentes óticas: financiamento da pesquisa e da inovação; fomento tecnológico; experiências e instrumentos empregados no Brasil e no exterior (incentivos fiscais, capital de risco, recursos não reembolsáveis, crédito e subvenções). 6. DINÂMICA SETORIAL DA INOVAÇÃO. Caracterização e análise da dinâmica e dos mecanismos de inovação (tecnológica e não tecnológica) que se relacionam com a competitividade e com a sustentabilidade sócio-ambiental em diferentes setores da economia. Desta forma, pode-se afirmar que a competência central do GEOPI está nos campos do planejamento e da gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), integrando-se, nesta temática, estudos sobre planejamento e organização institucional, avaliação (institucional, de programas, de projetos) e estudos do futuro (prospecção e monitoramento tecnológico), dentre outros. Tais trabalhos foram realizados junto a diversas instituições do sistema de inovação do país, desde o trabalho pioneiro com o IAC em 1995/1996, juntando-se a este Fapesp, Embrapa, CPFL, Finep, INPE, CTA, APTA, CPqD, CGEE, Sucen, Sabesp, Softex, Inova, INPI, BNDES, MCT e CNPq, e instituições internacionais como a Fundación para la Promoción de la Innovación Agrícola (FIA) do Chile, o Programa para la Innovación y Competitividad del Agro Peruano (PIEA-INCAGRO), Instituto de Interamericano para Cooperação para a Agricultura (IICA), Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI), a United States Agency for International Development (USAID), o World Wildlife Fund (WWF), o Programa Cooperativo para el Desarrollo Tecnológico Agroalimentario y Agroindustrial del Cono Sur (PROCISUR), o Fondo Regional de Tecnología Agropecuaria (FONTAGRO) e o Foro de las Americas para la Investigación y Desarrollo Tecnológico Agropecuario (FORAGRO). O GEOPI desenvolve seus trabalhos por meio de atividades de ensino, pesquisa, extensão e consultoria.

Áreas predominantes: Ciências Sociais Aplicadas; Economia

Pesquisadores: Adriana Bin; Adriana Torsoni; Ana Flávia Portilho Ferro, Ana Lúcia Delgado Assad; Ana Maria Alves Carneiro da Silva; Andre Tosi Furtado; Antonio Flavio Dias Avila; Antonio Marcio Buainain; Camila Zeitoum; Carolina Rio; Carolina Vaghetti Mattos;Cecilia Gianoni; Carlos Fredo; Claudenicio dos Reis Ferreira; David Vieira; Debora Luz de Mello; Fábio Campos; Fernando Pellegrini, Flávio Arantes, Fernando Antonio Basile Colugnati; Giancarlo Nuti Stefanuto; Janaina Costa; Jhonantan Alves Paulo, João Eduardo de Morais Pinto Furtado; Jose Maria Ferreira Jardim da Silveira; Juan Ernesto Sepulveda; Luiz Fernando Vazzóler; Luiza Maria Capanema; Maria Isabel Velez; Marcos Alberto Castelhano Bruno; Marcos Paulo Fuck; Maria Beatriz Machado Bonacelli; Mauro Zackiewicz; Paule Jeanne Vieira Mendes; Pedro Massaguer; Rosana Icassatti Corazza; Rui Henrique Pereira Leite de Albuquerque; Sergio Luiz Monteiro Salles Filho; Sergio Medeiros Paulino de Carvalho; Sérgio Robles Reis de Queiroz; Solange Maria Corder; Sonia Maria Tilkian de Carvalho; Sônia Regina Paulino; Taís Herig;Wilson Suzigan.

Endereço na Web:
http://www.ige.unicamp.br/geopi
http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0079603IT69CIS

 

6. LabGETI – Laboratório de Gestão de Tecnologia e Inovação (início em: 01-06-2011)

Líder: Ruy de Quadros Carvalho

O Laboratório de Gestão de Tecnologia e Inovação – LabGETI reúne o grupo de professores, pesquisadores e alunos do DPCT e de instituições colaboradoras que tem como objetivo contribuir para o avanço da pesquisa e do conhecimento sobre os processos de gestão, organização e governança da P&D e da inovação tecnológica em empresas de negócios e instituições de C&T no Brasil e outros países emergentes, com ênfase em sua relação com as estratégias competitivas, de crescimento e de globalização. As principais linhas de pesquisa, nas quais o grupo desenvolve projetos de investigação são: • Padrões de difusão de rotinas, práticas e ferramentas de gestão da inovação em empresas brasileiras; • Papel das empresas brasileiras em cadeias de inovação globais no contexto da segmentação organizacional do processo de inovação; • Gestão da inovação em serviços, com ênfase em serviços emergentes na convergência digital; • Desenvolvimento, teste e aplicação de metodologias e ferramentas para a gestão da inovação tecnológica; e • Indicadores de resultados da P&D e das atividades inovativas para as empresas de negócios.

Áreas predominantes: Administração e Economia, Engenharia de Produção

Pesquisadores: Ruy Quadros, André Furtado, Sérgio Queiroz, Luciana Lenhari, Glicia Vieira, Edmundo Inácio Junior, Muriel Gavira, Mariana Pfitzner, Edilaine Camillo, Robson Lisboa, Andrea de Deus, Manuella Pereira, Lucca Vichr, Daniel Monaco, Débora Iacovino Monteiro, Barbara Puchala, Guilherme Parra, Suellen Harumi Tajiri, Eduardo Raupp de Varga, Leonardo Basso, Nilton Vargas e Ricardo Amaral Remer.

Endereço na Web: em elaboração.