Intercâmbio institucional

O PPG-PCT possui, desde sua constituição, uma forte vocação para cooperação nacional e internacional. Uma das vantagens de possuir um corpo docente e discente multidisciplinar é a participação em diversas redes de pesquisadores no Brasil e no exterior. O fato do corpo docente do Programa ter experiência internacional (doutorado e/ou pós-doutorado e, em alguns casos, graduação e mestrado realizados no exterior – França, Inglaterra, EUA e Suécia), em diferentes áreas disciplinares e instituições de ensino e pesquisa, reforça esta vocação.
Desde seu início, o Programa contou com o apoio da Universidade das Nações Unidas (UNU), que cobria parte das despesas de alunos originários de diversos países latino-americanos por meio do convênio CAPES-CNPq/UNU, que se encerrou no fim do ano 2000 e não teve continuidade devido à falta de interesse das autoridades nacionais. De toda forma, o Programa sempre atraiu candidatos da América Latina mesmo após o encerramento do convênio com a UNU. Em anos mais recentes, tem-se utilizado o Programa PEC/PG da CAPES.
Já passaram pelo PPG-PCT 31 alunos de outros países latino-americanos e 1 africano de Moçambique – 21 no mestrado e 11 no doutorado, vários deles com bolsa do convênio CAPES-CNPq/UNU, bolsa PEC-PG da CAPES e bolsa FAPESP, além de alunos com bolsa sandwich via Programa CAPG/CAPES com a UBA/Argentina. Em números mais exatos, a partir do quadro de acompanhamento e análise de egressos do Programa e de trabalho de análise da Profa. Lea Velho e da ex-aluna M. Lígia Moreira (da publicação Trajetória Institucional e Resumo das Dissertações e Teses do PPG-PCT/DPCT, 2012), 5% de um total de 193 egressos do mestrado e 8% de um total de 88 egressos do doutorado são de outros países da América Latina que não o Brasil. O Programa conta hoje com 4 alunos de outros países da América Latina e uma aluna espanhola.
No plano nacional, o Programa em PCT está vinculado à ANPOCS (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais) e à ANPAD (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração) e à SOBER (Sociedade Brasileira de Economia Rural) e participa dos Programas Procad, Prodoc e PNPD da Capes. No âmbito internacional são várias as iniciativas e participa de um programa da Capes com a Argentina. As iniciativas são detalhadas a seguir.

Em âmbito nacional
Depois da experiência exitosa do Minter com o CFET do Mato Grosso, apontada em relatórios anteriores, o PPG-PCT vem sendo convidado para participar de diferentes programas de pós, Minter e Dinter e/ou colaboração – recentemente fomos procurados pelo Instituto Federal de Minas Gerais e pela Universidade do Oeste do Paraná para os programas Dinter e Minter, respectivamente.
Devido ao tamanho de nosso quadro docente, aceitamos apenas o Programa de Pós-Graduação em Tecnologia (PPGT) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, cujo título é Política Científica e Tecnológica: Desafios da Globalização e Sustentabilidade Ambiental (Edital Procad/CAPES nº 01/2007), cujo término se deu em dezembro de 2012, com resultados positivos importantes no que respeita números e qualidade da colaboração, dado que o PPGT subiu de nota na avaliação da Capes no último triênio e atingiu o 5. Acredita-se que o Procad com o PPG-PCT tenha contribuído para essa importante conquista. Relembra-se que cinco professores do PPGT realizaram seu pós-doutorado em Campinas e alunos do Programa de PG da UTFPR realizaram disciplinas no âmbito do PPG do DPCT; disciplinas foram oferecidas no PPGT e intercâmbio de professores para participação em bancas também ocorreu. Um evento que auxiliou fortemente a aproximação entre as duas instituições foi o TECSOC – Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade, organizado pelo PPGT, com grande envolvimento de professores do DPCT nos comitês organizador e científico do evento em 2013. Os professores do DPCT envolvidos no TECSOC foram: Maria Beatriz Machado Bonacelli, Marko Synesio Alves Monteiro, Renato Dagnino (Comissão Organizadora); Andre Tosi Furtado; Renato Dagnino; Lea Velho (Comissão Científica), além da forte presença de outros professores e alunos no evento (como consta da produção intelectual do PPG-PCT).
Os Professores do DPCT participaram (como coordenadores ou pesquisadores) de dois Projetos Temáticos da Fapesp assim como de um INCT, os quais fortalecem sobremaneira as relações institucionais do Departamento e do PPG-PCT com outras instituições de ensino e pesquisa, relevando a característica multicêntrica no desenvolvimento da pesquisa:
1. Projeto Temático 1: Generation of Alcohol Production Scenarios as Support for the Formulation of Public Policies Applied to the Adaptation of the National Sugar and Alcohol Industry to the Climate Changes (AlcScens), coordenado pelo Prof. Jurandir Zullo, do Cepagri/Unicamp, sendo o Prof. André Furtado (DPCT) um dos pesquisadores principais e a pesquisadora Sílvia Angélica Carvalho (ex-aluna do PPG-PCT) bolsista pós-doc do projeto. O projeto está em andamento;
2. Projeto Temático 2: Organisational Design of BIOEN Programme: Intellectual Property, Incentive Mechanisms and Impact Evaluation, coordenado pelo Prof. José Maria da Silveira, do IE/Unicamp, do qual a Profa. Maria Beatriz M. Bonacelli foi um dos pesquisadores principais. O projeto envolveu professores da Poli/USP, da FCA e do próprio IE/Unicamp e sua vigência foi de 2009 a 2013. Um dos seus propósitos foi analisar o uso de instrumentos de proteção do conhecimento (patentes, por exemplo) no âmbito dos projetos do Bioen;
3. Projeto INCT Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento, sob coordenação do Prof. Renato Boschi, da UFRJ, e que agrega as instituições Unicamp, UFF, UFRRJ, IUPERJ e UFJF. A profa. Maria Beatriz M. Bonacelli participa da Linha 2 – Políticas Públicas, Instituições e Dinâmica Tecnológica do Agronegócio, coordenada pela Profa. Ana Célia Castro (UFRJ). O projeto iniciou-se em 2009 e se encerrou em 2014, tendo sido reconduzido com os mesmos elementos ao CNPq.
4. Rede de Pesquisa Formação e Mercado de Trabalho (Projeto IPEA/ABDI), na qual está envolvido o Prof. Renato Pedrosa. Entre 25 e 26 de abril 2013 foi realizado Seminário Rede de Pesquisa Formação e Mercado de Trabalho, IPEA, Brasília, DF, com apresentação do trabalho Educação e Crescimento Econômico, o qual será publicado como capítulo de livro em outubro de 2014.
Os projetos do DPCT também têm um viés de prática da Inserção Social. Em 2012 foi aprovado o projeto Centro Público de Tecnologia Social de Campinas, cujos coordenadores são os Profs. Renato Dagnino e Rafael Dias. O projeto visa a prospecção de demandas e desenvolvimento de tecnologias sociais para comunidades carentes em Campinas e região. O Centro estará vinculado à Secretaria de Trabalho e Renda da Prefeitura Municipal de Campinas, com a participação da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PREAC) da Unicamp e é financiado pela Secretaria Nacional de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Social (SECIS/MCTI). O projeto tem duração prevista até 2015.

Outras relações institucionais:
a) Fapesp – Profs. Sérgio Queiroz, Sergio Salles e Renato Pedrosa têm relações sistemáticas na FAPESP, desempenhando, respectivamente, a função de coordenador adjunto de pesquisa para inovação tecnológica, de coordenador de avaliação de programas e de coordenador dos indicadores de CT&I para São Paulo;
b) Fiocruz – Profa. Maria Conceição da Costa: desde 2009 é avaliadora de programas internos da Fundação e professora do Programa de pós-graduação em Informação e Comunicação em Ciência e Tecnologia desde 2010; Profa. Cristina de Campos: participa do Grupo de Pesquisa Saúde e Cidade: arquitetura, urbanismo e patrimônio cultural (cujo líder é o pesquisador Renato da Gama-Rosa Costa); Prof. Marko Monteiro: líder junto com Prof. Carlos José Saldanha Machado, do Grupo de Pesquisa “Ciência, Tecnologia e Políticas Públicas em Saúde e Ambiente”;
c) UERJ/Instituto de Saúde – Profa. Cristina de Campos participa do Grupo de Pesquisa Instituições e representações de Saúde, cujo líder é o Prof. Luiz Antonio Castro Santos;
d) USP/Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – Profa. Cristina de Campos participa do Grupo de Pesquisa História Social do Trabalho e da Tecnologia como Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo, cuja líder é a Profa. Maria Lucia Gitahy.
e) UnB – Prof. Marko Monteiro é pesquisador do “Laboratório de Estudos Sociais e Econômicos sobre Inovação em Genômica – LEGEN”, liderado pelo Prof. Michelangelo Giotto Trigueiro.
f) Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) – a Profa. Leda Gitahy fez parte do Grupo de Trabalho que elaborou a Proposta de Cursos Novos – APCN – do Doutorado Interdisciplinar em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento e é Professora Colaboradora do Programa de PG.

Em âmbito internacional
O DPCT e o PPG-PCT têm mantido estreita cooperação institucional com congêneres internacionais, como descrito a seguir:
1. Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil-Argentina (CAFP-BA)/CAPES
Entre 2000 e 2010, o PPG-PCT/DPCT coordenou (Profa. Leda Gitahy) convênio Capes junto ao Programa de Mestrado em Política e Gestão em Ciência e Tecnologia da Universidade de Buenos Aires (UBA), no âmbito do Programa Centros Associados de Pós-Graduação (CAPG).
No final de 2011, o PPG-PCT/DPCT teve um novo convênio aprovado com a Maestria em PGCT da UBA, agora no âmbito do CAFP/CAPES. Por esse programa, o PPG-PCT é a instituição promotora do fortalecimento do Programa de Pós-graduação da UBA. O Programa tem duração de 4 anos, nos quais vem se dando grande troca de conhecimento e de profissionais – professores e, especialmente alunos da maestria argentina – e pretende-se consolidar as instituições envolvidas em temas relativos à política e gestão em CT&I. Em 2013, foram realizadas 2 missões de trabalho do Brasil na Argentina e outras 3 missões de trabalho da Argentina para o Brasil – inclusive com a participação da coordenadora argentina na defesa de tese de doutorado da aluna Claudiana Guedes de Jesus do PPG-PCT/IG/Unicamp, em fevereiro de 2013.. A coordenadora argentina também participou, juntamente com a coordenadora brasileira, da comissão organizadora do TECSOC 2013, ambas apresentaram palestra na sessão de abertura do evento e foram coordenadoras de mesa.
A aluna de maestría que havia feito uma parte de seu mestrado no DPCT em 2012, María Paula Senejko, participou do V Seminário da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação, sessão Avaliação em Ciência, Tecnologia & Inovação, realizado na UNICAMP, em setembro de 2013, com apresentação de resultados de sua dissertação.
2. Projeto Red Innovagro – Red de Gestión de la Innovación en el Sector Agroalimentario: o prof. Sergio Salles-Filho, do DPCT, é membro do conselho executivo e participou da constituição, em maio de 2011, do Projeto, o qual envolve 14 países da América Latina. O tema central desta iniciativa é a Formación en Gestión de la Innovación para el Sector Agroalimentario, cujo um dos objetivos centrais é criar uma maestria única para os países envolvidos. A Argentina também participa do Innovagro e também do conselho executivo, fato que impõe maior facilidade para os intercâmbios entre os dois países, assim como ao DPCT e à UBA;
3. IICA – Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (prof. Sergio Salles-Filho). Estudos sobre o sistema de P&D em agricultura, no tocante ao desenvolvimento e a organização da pesquisa agrícola na América Latina e Caribe, realizados junto a instituições que fazem parte do Sistema de P&D em agricultura, a saber:
a) Foragro – Foro de las Américas para la Investigación y el Desarrollo Agropecuario, do Sistema IICA; último trabalho versou sobre inovações institucionais. Trata-se do principal Forum de cooperação sobre temas relacionados à organização da pesquisa agrícola, reunindo todos os países da América do Sul, Central e Caribe.
b) Procisur – Programa Cooperativo para el Desarrollo Tecnológico Agroalimentario y Agroindustrial del Cono Sur, com cooperação sistemática no que respeita às ações deste Programa para integração de organizações de pesquisa agrícola dos países do Cone Sul: Brasil, Uruguai, Argentina, Chile, Bolivia e Paraguai.
c) Fontagro – Fondo Regional de Tecnología Agropecuaria, que é o Fundo do Banco Interamericano de Desenvolvimento voltado ao fomento da inovação agropecuária junto aos países membros (quase todos da América do Sul e Central).
4. Projeto Social Technologies and Public Policies in Latin America, financiado pelo International Development Research Centre (IDRC/Canadá), coordenado pelos professores Renato Dagnino e Rafael Dias (Unicamp), desenvolvido conjuntamente com o Instituto de Estudios de la Ciencia y la Tecnología (IEC) da Universidad Nacional de Quilmes (Argentina). O estudo das tecnologias para a inclusão social representa uma tarefa prioritária para o planejamento de estratégias de democratização, desenvolvimento sócio-econômico e inclusão social na América Latina. Além do Brasil e da Argentina, o estudo envolve o Uruguai, o Chile e o Peru.
5. Convênio Capes-Universidade de Havana/Cuba, no âmbito do projeto de pesquisa Universidad y desarrollo social: estudio comparativo Brasil-Cuba sobre la Política Científica y Tecnológica y su papel en el camino de la inclusión social, sob coordenação dos Profs. Renato Dagnino (Brasil, DPCT) e Luis Felix Montalvo (Cuba, ex-aluno do DPCT). O projeto aborda as percepções acerca da C&T como obstáculo cognitivo à elaboração de uma política universitária (e de C&T) que tome como diretriz as características do contexto socioeconômico em que o conhecimento é produzido, disseminado e aplicado junto à sociedade, tomando em consideração o Brasil, Cuba e outros países da região. Duração: mar/2012-mar/2014.
6. A Profa. Maria Conceição da Costa é coordenadora do projeto Medidas para la Inclusión Social y Equidad en Instituciones de Educación Superior en América Latina – MISEAL -, iniciativa da União Europeia para a promoção da cooperação entre Instituições de Educação Superior (IES) da América Latina e Europa. O projeto busca desenvolver medidas que promovam e implementem processos de inclusão social e equidade nas IES da América Latina, a partir de 3 eixos de ação: a) desenvolvimento de medidas para mudar e melhorar os mecanismos de inclusão social e equidade nas IES com ênfase à inteseccionalidade de diversos marcadores de diferença (eixos de desigualdade); b) formação de especialistas em inclusão social e equidade por meio de um programa de pós-graduação transnacional; c) estabelecimento de rede de intercâmbio e assessoria entre universidades europeias e latino-americanas. São 16 instituições participantes e além da coordenadora, participam também, pelo PPG-PCT, os Profs. Marko Monteiro e Lea Velho (permanente) e Margareth Lopes (colaboradora) e a aluna Rebeca Feltrin. O projeto é financiado pela União Europeia, com início em 2011 e duração de 3 anos (até dezembro 2014).
7. Em 2013, o Prof. Nicholas Vonortas da George Washington University realizou seminário sobre o tema da política de ciência e tecnologia nos Estados Unidos. Naquele ano foi preparada uma proposta de um Projeto SPEC (Special Visitant Chair) da Fapesp para atrair especialistas de renome internacional para o Estado de São Paulo. Essa proposta de projeto foi aprovada em 2014. O Prof. Vanortas já esteve em missão no DPCT e fará outra missão no final de 2014. O Departamento e o PPG-PCT contam agora, portanto, com um grande nome no tema Innovation Systems, Strategies and Policies pelos próximos 4 anos, o que certamente deverá propulsar ainda mais o processo de internacionalização do DPCT.
8. Virtual Institute of Responsible Innovation. Arizona State University, ASU, Estados Unidos. O Prof. Marko Moneiro é pesquisador do Instituto desde 2013, um “instituto virtual” financiado pela NSF (National Science Foundation – EUA) que congrega membros de instituições de diversos países interessados na discussão sobre inovação e pesquisa responsável. A associação deu-se devido à colaboração com as pesquisas do Prof. Phillip Macnaghten (Unicamp e Durham, UK). O Instituto é coordenado por David Guston, diretor do Center for Nanotechnology in Society at ASU.
9. Democracy Works. Projeto internacional sobre democracia e desenvolvimento social e econômico em países emergentes, que tem como participante o Prof. Renato Pedrosa. A coordenação é do Legatum Institute (Londres) e do Instituto Educação, Trabalho e Sociedade ( Rio de Janeiro) e já conta com um artigo como resultado: Pedrosa, R. H. L. ; Queiroz, S. R. R. “Democracy and the ‘Innovation Dividend’”. Londres: Legatum Institute, 2013 (artigo publicado online) e sua versão em português, publicada em 2014, como capítulo do livro Via Democrática: como o desenvolvimento econômico e social ocorre no Brasil, S. Schwartzman (Ed.), Campus/Elsevier.
10. Entre 2013 e 2014, o Prof. Sergio Salles-Filho realizou um estágio de um ano na Manchester University sob a orientação do Prof. Stanley Metcalfe.
11. Em 2013, foram estabelecidos os primeiros contatos e submetido ao WUN (Worldwide Universities Network) projeto liderado pelo Prof. Xiaobo Wu da School of Management da Zhejiang University, China, junto com a University of Leeds, no Reino Unido, a Universidade de Maastricht, na Holanda, e UNICAMP. Participam pelo PPG-PCT, os Profs. André Furtado, Rafael Dias e Flávia Consoni. O projeto cujo tema é pioneiro intitula-se “Inclusive and Green Innovation”. Ele foi aprovado no final de 2013 e iniciou suas atividades em 2014.